Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­cia

Foto: Dennis Tavares/ SSP/TO

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Araguaína, no Norte do Estado, finalizou o inquérito policial referente à fuga de reeducandos, ocorrida no dia 2 de outubro, na Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota - UTPBG. O relatório foi encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) e os investigados já se encontram denunciados à Justiça.

Segundo o delegado Bruno Boaventura, responsável pela Delegacia Regional de Araguaína, foi montada uma força-tarefa composta por delegados, agentes e escrivães para que fosse finalizado o documento, que contém mais de 700 páginas, onde constam os depoimentos de dezenas de testemunhas e vítimas, laudos técnicos-periciais, imagens de circuitos de segurança, entre outros. “Todos os trabalhos foram concluídos no prazo legal de 10 dias. Para isso, contamos com o empenho de uma equipe empenhada em dar celeridade ao inquérito policial”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado, caso sejam condenados, cada um dos autores pode pegar a pena de 272 anos de prisão.

Após minuciosa análise de todo material recolhido, o atual titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Araguaína indiciou 19 (dezenove) fugitivos pelos seguintes crimes: 

1 - Organização Criminosa;

2 - Tentativa de Homicídio Qualificado;

3 - Tentativa de Latrocínio;

4 - Evasão de Estabelecimento Prisional mediante violência;

5 – Sequestro;

6 - Dano ao Patrimônio Público;

7 - Furto Qualificado;

8 - Porte Ilegal de Arma de Fogo de uso permitido;

9 - Porte Ilegal de Arma de Fogo de uso restrito;

10 - Disparo de Arma de Fogo.