Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Esporte

Foto: Márcio Vieira

Cerca de 150 estudantes de escolas públicas e particulares com deficiência física e intelectual, incluindo alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Palmas, participaram do Festival Dia do Atleta Paralímpico, neste sábado, 21, na Escola Estadual Professora Elizângela Glória Cardoso. No evento, os estudantes, acompanhados de familiares e equipe escolar, tiveram a oportunidade de experimentar a prática de três modalidades paralímpicas: tênis de mesa, bocha e parabadminton.

O Festival é promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) em comemoração ao Dia do Atleta Paralímpico (22 de setembro) para fomentar o paradesporto no País e a Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) é parceira do CPB na realização do evento.

Na oportunidade, as crianças e jovens com idade entre 10 e 17 anos vivenciaram as modalidades de forma lúdica e inclusiva. As atividades foram desenvolvidas em circuitos com três estações, uma para cada esporte. Os estudantes passaram por todas as modalidades com orientações de professores e técnicos especializados.

Boa parte dos alunos experimentou o esporte pela primeira vez. A cadeirante Rayany Silva Souza, estudante da Escola Estadual Beira Rio, do Distrito de Luzimangues, ficou radiante com a chance de jogar tênis de mesa. “Desde que sofri acidente de trânsito e tive parte da perna amputada, essa foi a primeira vez que pratiquei o esporte. Foi uma felicidade participar desse evento”, destacou.

Everton Tavares de Oliveira, estudante do Centro de Ensino Médio de Taquaralto, já participou de edições dos Jogos Paradesportivos do Tocantins (Parajets), no atletismo, e no Festival teve a oportunidade de testar novas habilidades.  “Gostei muito do Festival porque tive a chance de experimentar outros esportes”, ressaltou.

Presente no evento, a titular da Seduc, Adriana Aguiar, destacou a importância de fomentar o paradesporto nas escolas. “É um momento muito especial para a educação no Tocantins de proporcionar essa experiência de aprendizado aos nossos alunos, seus familiares e oportunizar a prática de modalidades paralímpicas”, completou.

“Uma das propostas do Festival é mostrar que esses esportes podem ser inseridos nas escolas. Nas atividades, utilizamos equipamentos esportivos confeccionados com material reciclável, como bolas e raquetes. São materiais alternativos que podem ser adaptados também nas escolas, de acordo com a deficiência do aluno. Ano passado os estudantes vivenciaram os esportes no Festival e este ano já participaram dos Jogos Paradesportivos do Tocantins”, explicou a coordenadora técnica do festival Keilla Cristine Gonçalves.

Marzonete Coelho, mãe do cadeirante Bruno Gabriel, disse que o filho nunca havia participado de evento de promoção do esporte paralímpico. “Ele amou essa manhã de atividades. Ficou muito feliz em experimentar cada uma das modalidades. É gratificante ver essa felicidade”, completou.

Parceiros

Foram parceiros da Seduc no evento a Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Instituto Federal de Educação do Tocantins (IFTO), Centro Universitário Luterano de Palmas (Ulbra), Faculdade de Palmas (Fapal)  e Federação das Apaes.