Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Universo Gospel

Foto: Rodrigo Martins O tema foi debatido entre religiosos e professores universitários O tema foi debatido entre religiosos e professores universitários
  • Padre Edson Oliveira discursa na solenidade de abertura

Sacerdotes, diáconos, religiosas, membros de pastorais, movimentos e organismos reuniram-se nesta última última sexta-feira, 28, em Araguaína (TO), para discutir o tema da Campanha da Fraternidade 2020. A abertura pública foi promovida pela Diocese de Tocantinópolis, Regional Norte 3, no auditório do Colégio Santa Cruz.

A Campanha da Fraternidade é promovida pela Igreja Católica em todo o País, por meio da Conferência Nacional dos Bispo (CNBB), sempre no período da Quaresma. Este ano, a campanha reflete o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso”, e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34).

Durante a abertura, o bispo Dom Giovane Pereira de Melo e o Padre Edson Oliveira, diretor da Faculdade Católica Dom Orione (FACDO), acolheram os presentes e fizeram um apanhado geral sobre o tema. Dom Giovane contou que já faz 50 anos que a Igreja no Brasil oferece como referência para conversão durante a Quaresma, um tema de interesse não só da Igreja, mas também de interesse da sociedade.

“Este ano a Igreja apresenta para nós o tema da vida. É um convite que a Igreja nos faz a não sermos indiferentes ao sofrimento, à dor, à vida no seu sentido mais amplo, desde o seu nascimento até o seu fim natural, e também a vida do planeta, a vida da nossa casa comum”, pontuou.

O bispo explica ainda que o tema é bastante abrangente, pois fala da vida no sentido transversal, “olhando a realidade do desemprego, a realidade da criança, principalmente dos órfãos, olhando também a questão do suicídio, da automutilação, da violência no trânsito, a violência urbana e no campo. Enfim, diversos temas que agridem a vida e que pedem de nós uma resposta”.

A solenidade de abertura contou com ainda com um painel seguido de debate, discutindo o tema “Vida, dom e compromisso” em diferentes vertentes. O professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Plábio Desiderio, doutor em Comunicação, discorreu o tema: impactos das indiferenças e desigualdades sociais no compromisso com a vida. Já a professora do curso de Direito da FACDO, Leticia Bittencourt, falou sobre: a violência como fator que quebra o amor, a compaixão e o direito à vida. Por fim, Talita Maria Machado de Freitas, professora do curso de Psicologia da FACDO, falou sobre: em busca de um sentido para a vida.