Polí­tica

Foto: Divulgação Professora Dorinha é a nova coordenadora da Bancada Federal do Tocantins Professora Dorinha é a nova coordenadora da Bancada Federal do Tocantins

A deputada federal professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) foi indicada pelos parlamentares tocantinenses para assumir a liderança da Bancada Federal do Estado no Congresso Nacional.

Segundo a deputada, sua tarefa principal será com relação aos assuntos mais amplos do Estado. “As defesas dos interesses suprapartidários. Neste momento político, também, independente de cada um dentro do seu próprio mandato, a defesa das questões mais amplas no âmbito do Estado, dos nossos municípios e de instituições e entidades”, disse a parlamentar democrata.

A deputada afirmou que pretende acompanhar e apoiar juntamente com a bancada a questão da viabilização dos recursos para a construção da nova ponte sobre o rio Tocantins, em Porto Nacional. A assinatura da Ordem de Serviço autorizando o início das obras de construção da ponte sobre o Rio Tocantins, na TO-070, no trecho que liga o município de Porto Nacional à BR- 153 foi feita em outubro do ano passado, mas a licitação ocorreu em 2014, pelo valor de R$ 101.328.272,57 (valor inicial). A ponte terá 1.488 metros de extensão, sendo 1.088 m de armação de concreto e 400 metros de aterro.

A deputada falou também das duas emendas impositivas da bancada. “Nós deliberamos neste ano um atendimento específico à cidade de Araguaína com quase R$ 46 milhões para infraestrutura e a outra para todos os outros municípios, 137 municípios, que vão receber um valor aproximado entre 500 a 700 mil reais para compra de equipamentos de maior porte, para área da agricultura. Alguns estão precisando de máquinas para poços artesianos”, disse.

O processo das indicações das emendas parlamentares ao orçamento fecha nessa quarta-feira, 28, e, depois, vai para o sistema, para ser divulgada as indicações finais dos beneficiados diretamente; municípios, Estado ou alguma instituição ou entidade. “Aí vamos fazer um levantamento por área de municípios atendidos, áreas que precisam de prioridade da bancada”, afirmou Dorinha.

No tocante às suas indicações, Dorinha disse que continua priorizando a Universidade Federal do Tocantins e o Instituto Federal (IFTO) “é onde eu concentro a maior parte dos meus recursos. O ano passado foram quase 50 milhões reunindo o Instituto e Universidade Federal. Minha emenda de bancada individual é para a universidade neste processo de fortalecimento”, destacou a democrata, afirmando ainda que indicou 26 milhões para construção de escolas nos municípios.

Transposição do Rio Tocantins

Em entrevista ao Conexão Tocantins, nesta terça-feira, 27, a deputada professora Dorinha opinou sobre o Projeto de Lei nº 6569/13,  do deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE), que visa a Transposição do Rio Tocantins para o Rio São Francisco, passando pela caixa do rio Preto no Estado da Bahia.

Segundo Dorinha um projeto de tamanha envergadura, pelas consequências que pode trazer, traz preocupações. “É um Estado que, ao mesmo tempo que nós temos muita água nós temos região de grande seca. Temos problemas sérios com municípios que nunca tinham sofrido com a falta de água e nós tivemos no ano passado. Eu, particularmente, penso que um projeto desta natureza precisa ser melhor debatido. Aqui na Câmara ele passou em comissões específicas, ele não veio a plenário, ele não teve uma comissão especial”, frisou.

A parlamentar lembrou que existe royalties sobre o petróleo e outras riquezas e a agua também é uma grande riqueza. “O que o Tocantins vai ter em relação a esta questão da transposição? Que tipo de garantia e recurso nos vamos ter para que não aconteça o que vem acontecendo na grande maioria dos rios? e o Tocantins não é diferente; o assoreamento, a poluição! nós não estamos dizendo que a água não seja importante, uma riqueza que nós pudéssemos compartilhar, mas, hoje, nós temos condições de fazer este compartilhamento numa situação que não tem nenhuma política consistente na área da preservação dos nossos mananciais? Tudo isto precisa ser melhor debatido”, defendeu Dorinha.

A deputada ainda lembrou os possíveis impactos ambientais gerados por um eventual processo de construção da obra e disse que a bancada federal do Estado deverá discutir o assunto. “O tema não tem sido debatido. Como é um tema que afeta muito o Estado, eu não tenho nenhuma predisposição arbitrária, mas acho que tem de ser melhor debatido. A ideia é tentar aprofundar, para que a gente tenha uma posição conjunta de bancada e do Estado, ouvir especialistas”, disse.

Eleições 2018

Dorinha também falou das expectativas para as eleições deste ano e disse que ainda não tomou nenhuma posição. “Eu tenho encontrado com todos, reunido com a maioria, eu não tratei deste assunto ainda com o governador Marcelo Miranda. Entendo que é um período de discussão e, logicamente, uma decisão vai ter de ser acompanhada por um debate mais aprofundado com os prefeitos que acompanham o grupo do Democratas, os parlamentares, o (ex)governador Siqueira Campos, o deputado (estadual) Eduardo (Siqueira)”, disse a democrata, concluindo que a expectativa é avançar na discussão, “mas sem tomar nenhuma posição de imediato”.