Polí­tica

Foto: Reprodução TV Assembleia Jorge Frederico usou a tribuna para criticar exonerações Jorge Frederico usou a tribuna para criticar exonerações

As exonerações publicadas pelo governador interino Mauro Carlesse (PHS) no Diário Oficial do Estado desta terça-feira, 24, ganhou repercussão entre os deputados estaduais durante a sessão ordinária da manhã desta quarta-feira, 25.

O deputado Jorge Frederico (MDB,) que presidia a sessão, foi o primeiro a se posicionar. Da tribuna ele criticou a decisão do governador de exonerar mais de dois mil servidores de uma só vez. Frederico diz que, após as exonerações, recebeu várias ligações de seus eleitores que estavam empregados no governo.

O deputado disse que os exonerados são “pais de família que amanheceram sem saber o que colocar na mesa da família.” Justificou. O discurso de Frederico foi acompanhado pelo deputado Nilton Franco (MDB) “pais de família foram demitidos sem nenhum critério”, disse ele.

Já o deputado Osires Damaso (PSC) usou a palavra e disse que o corte não foi feito para enxugar a folha, mas sim para colocar cabos eleitorais no lugar dos servidores exonerados. “O governo de Mauro Carlesse vai ficar na história como o pior governo da história do nosso estado porque ele não tem capacidade pra governar”, declarou.

O deputado Júnior Evangelista (PSC) rebateu as críticas. Ele declarou que a manifestação contrária dos parlamentares às exonerações, especialmente do MDB, é porque os deputados tinham vários cabos eleitorais indicados para trabalhar no governo. “Eu sei que é difícil agora ir pedir voto sem esses cabos eleitorais pagos pelo governo do Tocantins”, retrucou.

Wanderlei Barbosa (SD) também defendeu a medida de Carlesse. “Os deputados aqui não sabem o que é limite prudencial. O governador Carlesse quer deixar somente o suficiente para manter o estado funcionando”, defendeu.