Polí­cia

Foto: Divulgação

Em júri popular realizado nesta segunda-feira, 21, em Araguaína/TO, o cobrador de dívidas Gilvane C. A. foi condenado a 15 anos e seis meses de prisão pela morte do corretor de imóveis, Tyago Henrique Domingos. O crime aconteceu em janeiro de 2014.

A tese de acusação do Ministério Público Estadual (MPE) foi acatada na íntegra pelo júri, que condenou Gilvane por homicídio praticado por motivo torpe, asfixia, meio cruel, dissimulação e recurso que dificultou a defesa da vítima, bem como de ter praticado o crime de fraude processual, por alterar a cena do crime.

O crime teria sido realizado por Gilvane, em associação com o autônomo Jefferson Rodrigues Correa Camargo, que ainda será julgado.

Segundo o promotor de Justiça, Célem Guimarães, restou apurado que Jefferson e Tyago eram sócios no ramo de construção de imóveis em Araguaína e possuíam um imóvel avaliado em cerca de R$ 300 mil. Posteriormente, Tyago demonstrou interesse em adquirir a parte do imóvel de Jefferson, efetuando o pagamento parceladamente, sendo certo que na data de sua morte já havia quitado quase que integralmente sua dívida. No entanto, Jefferson resolveu arquitetar o homicídio de seu sócio para ficar com o dinheiro recebido da vítima e o imóvel em sua integralidade.

Cobrador conhecido na cidade pela forma truculenta de exercer as cobranças, Gilvane associou-se a Jefferson para realizar o crime, que ocorreu em um motel da cidade.