Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Foto: Divulgação

Para o candidato a vice-governador Divino Betânia, da chapa liderada por Vicentinho Alves (PR), a cegueira pelo poder do governador interino Mauro Carlesse (PHS) é tanta que o faz ignorar sistematicamente as decisões judiciais. "Já não se sabe mais o que é ato administrativo e o que é ato eleitoral", afirmou nesta quarta-feira, 6, Divino Betânia, sobre as ações de Mauro Carlesse que concorre com Vicentinho ao Governo do Estado no segundo turno da eleição suplementar do dia 24 de junho.

Candidato a vice-governador da Coligação A Vez dos Tocantinenses, Divino Betânia não escondeu a sua indignação ao dizer que Mauro Carlesse já extrapolou todos os limites éticos e morais.

Ele se referia à decisão desta última terça-feira, 5, determinando que o interino cumpra sentenças cautelares do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO) e do Tribunal de Justiça (TJ-TO), restringindo nomeações e exonerações de cargos comissionados, sob pena de multa pessoal diária de 20 mil reais.

"Mas, pasmem, quem emitiu nota de esclarecimento acerca da decisão da Justiça sobre as ações ilegais praticadas por Carlesse não foi o Governo do Estado, comandado por ele, mas a coligação que sustenta a sua campanha eleitoral, já marcada pela farra do dinheiro público gasto de maneira irresponsável e criminosa", ressaltou Betânia. 

Para o vice de Vicentinho Alves, a nota não deixa dúvida de que Carlesse, na sua ânsia de ganhar a eleição a qualquer preço, já não distingue mais o que são ações de Estado e o que é ações eleitoreiras, num verdadeiro abuso da posição que ocupa para beneficiar a si e ao grupo que o apoia. “A sua cegueira diante do poder chegou a tão ponto de ignorar até as decisões judiciais”, lembrou Divino Betânia.