Polí­tica

Foto: Divulgação Mauro Carlesse destacou ao presidente da Câmara que a universidade do Norte terá um papel transformador na região Mauro Carlesse destacou ao presidente da Câmara que a universidade do Norte terá um papel transformador na região

No final da tarde dessa quarta-feira, 13, o governador interino Mauro Carlesse foi recebido pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, acompanhado pelos deputados federais Carlos Gaguim e Dorinha Seabra. O chefe do Executivo estadual tratou de assuntos de interesse do Tocantins, entre eles, o pedido de urgência para votação de Projeto de Lei do presidente da República que cria a Universidade Federal do Norte do Tocantins. "Rodrigo Maia nos assegurou que já na próxima semana coloca o projeto em votação", disse a deputada Dorinha, autora do pedido de urgência.

Mauro Carlesse destacou ao presidente da Câmara que a universidade do Norte terá um papel transformador na região e agradeceu o empenho do Parlamento em ajudar o Tocantins. "Com essa universidade o povo da região Norte do Estado terá mais oportunidades. É a formação superior que chega para os nossos jovens que hoje precisam sair de suas cidades para estudar", disse o governador, que assegurou total apoio do Estado na implantação da nova universidade.

De acordo com o projeto, a Universidade Federal do Norte do Tocantins irá encampar campus já existentes e terá dois novos campi na região do Bico do Papagaio.

Ibama

O governador esteve também na presidência do Ibama, onde se reuniu com a presidente do órgão, Suely Araújo. Acompanhado de deputados federais e de prefeitos tocantinenses, Carlesse pediu empenho do Ibama no sentido de liberar atividades de piscicultura no Estado, em especial a produção comercial da espécie Tilápia, já existente em lagos e rios, mas que depende de licença ambiental para regulamentação.

Ainda ontem o governador fez uma visita de cortesia ao ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas União (TCU). Mauro Carlesse aproveitou para alinhar ações do Estado na esfera federal e disse ao ministro que sua gestão trabalha pelo ajuste das contas públicas e pediu o apoio do TCU na solução de problemas como a judicialização da saúde.