Meio Jurídico

Foto: Divulgação Edy César dos Passos e Gláucia Brachina durante acordo Edy César dos Passos e Gláucia Brachina durante acordo

O advogado Edy César dos Passos e os pais do adolescente de 14 anos que se envolveram em uma confusão durante um ato popular contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência da república no último sábado, 29, fizeram um acordo extrajudicial que pôs fim ao desentendimento.

Pelo acordo, ambos renunciam ao direito de moverem ações uns contra os outros devido ao fato ocorrido, seja nas esferas cívil, criminal e administrativa. No acordo os pais do menor também se comprometeram a retirar os vídeos sobre o assunto que foram postados nas redes sociais - depois da confusão a mãe do menor gravou um vídeo relatando sua versão do acontecimento que viralizou na internet.

O advogado e os pais do menor também reconheceram no documento que se excederam em seus atos, reconhecendo os reflexos negativos das atitudes e exposição dos atos.

Entenda

Nesta segunda-feira, 2, a diretoria da OAB Tocantins chegou a afastar o advogado Edy César dos Passos da presidência da Comissão de Direitos Humanos da seccional devido à denúncia de que teria agredido o adolescente durante a manifestação que ocorreu no sábado.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, a mãe do menor, Gláucia Branchina, disse que o advogado teria ameaçado seu filho com um taco de beisebol e uma faca porque o jovem estava usando uma camiseta de Bolsonaro.

Edy César por sua vez, divulgou uma nota negando as acusações e afirmando que o adolescente estava praticando vandalismos e agressões verbais aos participantes da manifestação, fato que o motivou a pedir que o garoto parasse de importunar.