Estado

Frente Brasil Popular convoca os trabalhadores tocantinenses para o ato

Frente Brasil Popular convoca os trabalhadores tocantinenses para o ato Foto: Divulgação

Foto: Divulgação Frente Brasil Popular convoca os trabalhadores tocantinenses para o ato Frente Brasil Popular convoca os trabalhadores tocantinenses para o ato

Centrais que reúnem sindicatos de trabalhadores da iniciativa privada e também servidores públicos estão organizando manifestações no Tocantins para acompanhar a greve geral dos trabalhadores da próxima sexta-feira, 14, em todo o Brasil.

A manifestação é contra a reforma da previdência e os cortes do governo Bolsonaro na educação pública. O presidente da Central Única dos Trabalhadores no Tocantins (CUT), José Roque, informou que, em Palmas, o ato começará às 8h com concentração na Avenida JK em frente ao Colégio São Francisco (108 Norte). “Seguiremos em marcha até a Praça dos Girassóis onde continuaremos o ato em frente aos órgãos da administração pública”, explicou.

Além das centrais sindicais, também devem participar o movimento estudantil, Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), entre outros. “Também esperamos contar com a participação maciça dos professores e trabalhadores em educação, pois os cortes do governo os atinge diretamente”, informou José Roque.

A Frente Brasil Popular também convocou os trabalhadores tocantinenses para o ato. “A Frente Brasil Popular reforça o convite a todos/as os/as estudantes e trabalhadores/as tocantinenses que paralisem suas atividades dia 14 na defesa do direito à aposentadoria e o repúdio à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19, da Reforma da Previdência”, diz a convocação.

A convocação da greve é nacional e já conta com adesão dos trabalhadores dos  transportes, como aeroviários, aeroportuários, portuários, motoristas e cobradores rodoviários, além de metroviários e ferroviários.  No Tocantins, o sindicato dos caminhoneiros não confirmou adesão à greve geral, mas informou na semana passada que muitos profissionais no Estado decidiram parar na próxima sexta-feira por conta própria.