Polí­tica

Plenário da Assembleia Legislativa do Tocantins

Plenário da Assembleia Legislativa do Tocantins Foto: Silvio Santos

Foto: Silvio Santos Plenário da Assembleia Legislativa do Tocantins Plenário da Assembleia Legislativa do Tocantins

Uma crítica dos deputados José Roberto Forzani (PT) e Fabion Gomes (PR) à atuação dos colegas causou um pequeno atrito entre os parlamentares durante a sessão da Assembleia Legislativa do Tocantins (AL-TO) na manhã desta quarta-feira, 28.

Em um plenário quase vazio, Zé Roberto criticou o andamento dos trabalhos na Casa e falta de comprometimento dos deputados que faltam às sessões. “A gente sabe quais são os deputados que estão aqui todos os dias. Sei que muitos têm atividades foram, mas a gente precisa dar mais atenção às nossas reuniões, comissões, fazer as coisas com menos correria. Não dá para chegar uma matéria e a gente, sem debater, já ir aprovando [...]. Olha hoje, olha ontem. É ruim para a gente que está presente todo dia. Eu raramente falto, somente em uma condição que não consigo adiar”, lamentou.

O parlamentar também criticou a ausência de debates na Casa e o trabalho das comissões. “Sou radicalmente contra reunião conjunta. Isso é acabar com o debate no parlamento. Quando eu e o deputado Elenil fomos presidentes da comissão nós não realizávamos reuniões conjuntas. O parlamento é para discutir. Quando se faz reunião conjunta não se aprofunda o debate. Aqui é para a gente votar, discutir, mas os debates são nas comissões”, criticou.

Ele foi acompanhado por Fabion Gomes que também reclamou da ausência dos pares. “Nós estamos vendo uma grande falta de compromisso dos deputados. Nós temos 24 deputados, mas não dá 14 aqui. Quando iniciamos com as sessões online, muitos deputados participavam, agora somente a deputada Amália Santana que participa”, se queixou Fabion.

Os deputados Elenil da Penha (MDB), Júnior Geo (PROS) e Nilton Franco (MDB) também chamaram atenção dos colegas. Devido às faltas dos parlamentares, a comissão de saúde da Casa, que já teve seus membros indicados, ainda não escolheu presidente e vice e por isso ainda não começou a atuar.

O deputado Vilmar de Oliveira (SD) sentiu o puxão de orelha e rebateu dizendo que cada deputado deve se preocupar com seu próprio mandato. “Eu estive em Brasília ontem acompanhando prefeitos e buscando recursos para nossos municípios, o que significa que estou trabalhando em benefício do povo. E cada um tem que se preocupar com seu mandato”, justificou.

O presidente Antônio Andrade (PTB) disse que mesmo durante a pandemia, a Mesa Diretora teve a preocupação de diminuir os dias de trabalho, porém mantando o mesmo número de sessões semanais, com duas sessões às terças e quartas, sendo reservada a quinta-feira para atividades não ordinárias. “A gente facilita por um lado e parece que fica mais difícil por outro. Responsabilidade todos aqui têm. Acho que tem que ter uma forma de às quartas e terças termos quórum para votar as matérias e cumprir nossos compromissos”, afirmou.

Ainda segundo o presidente, a partir da semana que vem, as sessões serão abertas pontualmente às 9h15 e às 15h15. “Se não houver quórum para deliberar vamos deixar de abrir a sessão”, alertou Andrade.