Polí­tica

Foto: Laila Mariana Salvador Ronaldo Dimas é pré-candidato ao Governo do Tocantins Ronaldo Dimas é pré-candidato ao Governo do Tocantins

A presidente nacional do partido Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), esteve em Palmas/TO nesta segunda-feira, 7, e reuniu-se com o presidente estadual do partido e pré-candidato a governador do Tocantins, Ronaldo Dimas. A presidente nacional, fez bastantes elogios a Ronaldo Dimas. “Um homem sério, que fala a verdade e que não mede esforços para construir um grupo. Seu respeito e a sua credibilidade é impressionante, dentro do parlamento e no Estado, o carinho que você tem com cada um, você é um líder nato e o Tocantins está cansado e precisa de um gestor sério e com experiência”, disse Renata Abreu.

Após a reunião, em entrevista à imprensa, trataram de possíveis alianças políticas no plano estadual e federal. Dimas falou do seu projeto político visando a eleição ao Governo do Estado, dos diálogos que tem conduzido com outros partidos e sobre a possibilidade de mudança de sigla durante o período da janela partidária para mudança de legenda. “A estratégia é relativamente simples, agregar partidos que acreditam no projeto. E aí, tem, claro, inclusive a Renata sabe disto, todos praticamente sabem, vários convites para uma mudança partidária, isto é fato, isto está em análise, estou analisando isto. Mas não significa, ah! você vai sair do Podemos e aí? Não! O Podemos permanece com a base estrutural do nosso objetivo”, disse Ronaldo Dimas. 

Segundo o governadoriável, todos os pré-candidatos permanecerão no partido, tanto para deputado federal quanto para estadual. Dimas também informou que seu filho, deputado federal Tiago Dimas (SD), migrará para o Podemos, ainda sem data definida para a filiação. Renata Abreu aproveitou a afirmação e brincou ao dizer que deveriam fazer a filiação no evento: “tem de fazer agora, pôr na ficha dele e colocar na imprensa”, descontraiu.

O pré-candidato a governador citou alguns partidos com os quais tem dialogado, como o PL, MDB, União Brasil, Republicanos e PSC.

Durante a entrevista especulou-se a possibilidade do pré-candidato se filiar ao PL no período da janela partidária e apoio ao presidenciável Sérgio Moro do Podemos ou ao presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição. “Eu sempre tive algumas questões que me pautaram na vida pública, uma delas é fazer aquilo que a gente faz com muita seriedade. Eu tenho de confessar que não é que eu não goste, absolutamente, mas para você cair de cabeça numa campanha de terceiro, você tem de estar convencido que aquele é o melhor caminho, que aquela pessoa realmente vai te representar e representar bem. Então, este convencimento não é um convencimento que acontece do dia para a noite. O Sérgio Moro, por exemplo, está começando a convencer não somente a mim, mas ao Brasil, que isto vai ser possível”, disse

Dimas, entretanto, afirmou que Bolsonaro tem um caminho mais amplo já. “Embora muito discutível, discussões intensas de várias ações, às vezes, para muitos, equivocadas, para alguns certas, é uma pessoa de uma personalidade muito forte, mas não resta dúvida, pelo menos é meu ponto de vista, que ele tem algumas ações bastante acertadas pelo País, então não vejo nenhuma dificuldade de estar caminhando com o presidente Bolsonaro”, afirmou.

O pré-candidato ainda falou sobre um possível apoio do senador Eduardo Gomes (MDB/TO) líder do Governo Federal no Congresso Nacional à sua pretensão eleitoral. “De certa forma é um problema e este é um dos motivos e a Renata sabe disto, de estar fazendo esta análise de mudança partidária. Porque é difícil para o líder do Governo no Congresso Nacional apoiar alguém no seu Estado que esteja com outro candidato à presidente a tiracolo. Então, de fato, esta situação, ela incomoda. E este incômodo é que faz a gente estar avaliando outras possibilidades partidárias”, concluiu Dimas.

Caso Arthur do Val

Durante o evento, Renata Abreu se posicionou sobre o caso do deputado estadual Arthur do Val (Podemos/SP) que fez comentários machistas e misóginos, fazendo pouco caso das mulheres ucranianas, após visitar, supostamente em caráter humanitário, a Ucrânia, País em guerra declarada com Rússia. “As declarações do deputado Arthur do Val são um absurdo, inaceitável e gravíssima, pois todas nós enquanto mulheres, nos sentimos ofendidas à nossa honra e principalmente em solidariedade às mulheres ucranianas no atual momento. Uma atitude infantil e que naturalmente ensejou dentro do partido uma revolta de toda nossa base política. O partido também abriu processo disciplinar, para que o Conselho de Ética rapidamente consiga dar um veredito final sobre a penalidade do deputado Arthur do Val”, disse a deputada.

Já foram protocolados na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) 10 pedidos de cassação do mandato do parlamentar.