Campo

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O sistema integrado da VLI (Valor Logística Integrada) começou a movimentar as primeiras composições carregadas com a safra de soja 2023. Os carregamentos iniciais ocorreram no final de janeiro e partiram do Terminal Integrador de Araguari (MG), de onde a carga segue pela Ferrovia Centro-Atlântica em direção ao porto de Tubarão, no Espírito Santo; ainda pela FCA, foram registrados carregamentos pelo Terminal Integrador de Uberaba (MG), com destino ao Terminal Portuário Luiz Antonio Mesquita (Tiplam), na Baixada Santista. O sistema norte da companhia também registrou movimentações, no fluxo que vai do Terminal Integrador de Palmeirante, no Tocantins, ao sistema portuário de São Luís. A Conab prevê para este ano mais uma safra recorde, com aumento de 22,2% em relação ao volume registrado em 2022, alcançando 152,7 milhões de toneladas.

“O agronegócio é um dos principais pilares da economia nacional. É motivo de orgulho para a VLI atender diversos clientes deste segmento, instalados nas principais regiões produtoras do Brasil. A integração entre portos, ferrovias e terminais traz eficiência e confiabilidade aos nossos clientes, permitindo que a safra brasileira seja exportada para diferentes destinos do mundo”, afirma Bruno Pantoja, gerente Comercial de Grãos da VLI.

A grande capilaridade do sistema multimodal gerido pela VLI permite que a soja captada, principalmente, nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Maranhão e Mato Grosso, seja destinada à exportação em três complexos portuários distintos: São Luís (MA), Vitória (ES) e Santos (SP). Para dar vazão a este fluxo, que tem início agora e segue até o segundo semestre, com picos de volume nos meses de fevereiro, março, abril e julho, a companhia utiliza três corredores logísticos, sendo eles os Corredores Centro-Sudeste e Centro-Leste da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), além do tramo norte da Ferrovia Norte-Sul (FNS).

Outros importantes ativos da companhia oferecem a integração e agilidade necessárias para a operação de escoamento. São eles: os Terminais Integradores de Araguari, Pirapora e Uberaba, em Minas Gerais; os Terminais de Porto Nacional e Palmeirante, no Tocantins; além do Terminal Integrador de Porto Franco, no Maranhão, que entrou em operação no segundo semestre de 2022.

Ferrovia Centro-Atlântica

A Ferrovia Centro-Atlântica percorre sete estados brasileiros, transportando riquezas de diversos segmentos, como o agronegócio, siderurgia e construção civil para abastecimento dos mercados interno e externo. A renovação antecipada da concessão da FCA, atualmente em curso nos órgãos reguladores, poderá marcar um novo ciclo de crescimento, investimentos e contribuição com a indústria ferroviária nacional, em virtude da aquisição de novos vagões e locomotivas para transportar o aumento de carga previsto, proporcionando um atendimento ainda mais amplo e eficiente aos clientes. (Precisa AI)