Saúde

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Com o intuito de apresentar a realidade da obesidade e sobrepeso no Tocantins, representantes da Superintendência de Políticas de Atenção à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins (SPAS/SES-TO), estiveram nessa quinta-feira, 20, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/TO) em reunião institucional.

Na ocasião, a equipe da SES-TO apresentou dados da obesidade no Tocantins ao representante do Conselho Regional de Medicina (CRM-TO), Dr. Jorge Zeve; ao vice-presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso), Dr. Fábio Trujilho; a delegada da Abeso no Tocantins Dra. Marcela Pitaluga, ao presidente da OAB/TO Dr. Gedeon Pitaluga, além de outros integrantes da ordem.

“A reunião envolveu esses representantes para iniciar as discussões sobre a situação de sobrepeso e obesidade no Estado e fomentar possíveis novas ações para que, por meio de um esforço coletivo busquem soluções para este problema de saúde”, explica o nutricionista da área técnica de Alimentação e Nutrição da SES-TO, Walter Soares Borges Neto.

O técnico complementa que o Tocantins vem sofrendo um aumento alarmante das taxas de sobrepeso e obesidade. “Isso tem resultado em um aumento significativo das doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares”.

Obesidade no Tocantins

Em 2022, 62,4% da população tocantinense estava com excesso de peso, ou seja, mais de um quarto da população está propensa a ter obesidade e com isso os problemas de saúde que acarreta a situação.

Ações da SES-TO

A SES-TO está desenvolvendo a Linha de Cuidado às Pessoas com Sobrepeso e Obesidade (LCSO) do Tocantins, que tem o objetivo de oficializar e padronizar protocolos, fluxos, normas, rotinas e caracterização do serviço. Para estabelecer e definir as atribuições entre os diversos atores dos pontos de atenção da Rede de Atenção à Saúde com suas referências e contra referências.

A SES-TO também é responsável pela implementação e monitoramento dos indicadores da Estratégia Nacional para a Prevenção e Atenção à Obesidade Infantil (Proteja).

O Proteja contempla um conjunto de ações essenciais e complementares que, reunidas e implementadas, poderão apoiar a reversão do cenário de obesidade infantil no Estado.