Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Esporte

Maria Flávia e Bruno Damasceno foram medalhistas em todas as provas que disputaram.

Maria Flávia e Bruno Damasceno foram medalhistas em todas as provas que disputaram. Foto: Divulgação Seduc/TO

Foto: Divulgação Seduc/TO Maria Flávia e Bruno Damasceno foram medalhistas em todas as provas que disputaram. Maria Flávia e Bruno Damasceno foram medalhistas em todas as provas que disputaram.

Determinação, persistência e superação marcaram a participação do Tocantins nas Paralimpíadas Escolares 2023 – regional Brasília. Com a maior delegação tocantinense da história, o Estado se destacou com a conquista de 88 medalhas, quatro recordes e a terceira colocação geral no atletismo. Foram 54 medalhas de ouro, 27 de prata e 8 de bronze. O evento foi realizado de 29 de agosto a 2 de setembro, na Capital Federal, com a participação de 11 estados.

“Estamos imensamente felizes com os resultados. Foi uma campanha sem precedentes. Superamos números, marcas e, principalmente, vivenciamos dias de muita emoção ao ver nossos meninos e meninas vencerem e se reconhecerem capazes de alcançar muito mais por meio do paradesporto. Todas essas medalhas, recordes e o troféu de terceiro melhor no atletismo demonstram a relevância dos investimentos do Governo do Tocantins no Paradesporto Escolar”, relatou a chefe da delegação do Tocantins, Keila Cristine Gonçalves.

Além dos 48 paratletas que disputaram diversas provas no atletismo e natação, a delegação do Tocantins incluiu treinadores, intérpretes, guias, fisioterapeutas e técnicos de desporto da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), totalizando 74 integrantes.

Para representar o Tocantins nas Paralimpíadas, os estudantes venceram os Jogos Estudantis Paradesportivos do Tocantins (Parajets). Mais de 130 estudantes de 78 unidades escolares públicas e particulares participaram da 9ª edição. 

Recordes

Três tocantinenses foram além e quebraram quatro recordes nacionais. Hentony Carvalho, da Escola Estadual Machado de Assis, de Araguanã, fez o tempo de 51’63, na prova dos 400m (T47) e se tronou o novo recordista escolar nacional também no salto em distância (T47). “Foi uma experiência marcante, mais dois recordes na minha trajetória. Agradeço a todos que me incentivam, especialmente o meu professor que por meio do esporte mudou a minha vida”, contou.

Evelyn Vitória Ribeiro, aluna do Colégio Estadual Irineu Albano, de Guaraí, foi ouro no lançamento de pelota (F35) e superou a própria marca com 16’18. Edivaneide Silva dos Santos, da Escola Municipal Safira Gomes, de Campos Lindos, também quebrou o recorde ao conquistar a medalha de ouro nos 150m com o tempo de 25’57.

Natação

Na natação, Maria Flávia, aluna do Colégio Militar do Estado do Tocantins – unidade II, de Palmas, venceu todas as provas que disputou e alcançou o 1º lugar nos 50m, 100m e 200m livres e 100m nado costas. “Estou muitíssimo feliz e grata por essa oportunidade. Que minha história sirva de inspiração para outras meninas que são deficientes, que elas possam acreditar que o esporte muda a nossa vida para melhor”, disse, emocionada.

Bruno Gabriel Damasceno, do Colégio Adventista de Palmas, conquistou três medalhas: ouro nos 50m e 100m livre e prata nos 100m costas.

Para a treinadora da dupla, a professora Deusanir Teixeira, a vitória dos alunos é fruto de um trabalho conjunto entre escola e família. “Estamos bastante satisfeitos, melhoramos o tempo nas provas, e a soma de sete medalhas na etapa regional nos deixa ainda mais confiantes para a fase nacional”, avaliou.

Esporte na Escola

Muitos dos talentos revelados nos Parajets e classificados para as Paralimpíadas são frutos dos investimentos do Governo do Tocantins, por meio da Seduc, que ampliou o programa Esporte na Escola na rede estadual. A iniciativa destina carga horária específica para treinamento de estudantes e recursos para a aquisição de material esportivo. No paradesporto, as unidades de ensino da rede estadual podem oferecer treinamento nas modalidades de atletismo, tênis de mesa, bocha, judô, natação e parabadminton.

O professor Rogério Borges dos Santos, que trabalha no Colégio João D'Abreu de Dianópolis desde 2016 e integrou a delegação do Tocantins, explicou como o programa contribui para a formação dos atletas.

“São 12h/aula com o Esporte na Escola na minha carga horária semanal. Vejo esse tempo específico e a possibilidade de aquisição de material para o uso nos treinamentos como uma forma de motivação para os profissionais. Muitas das classificações nacionais e internacionais dos paratletas do Tocantins são resultados dessa iniciativa, destacou.”

Melhores do Brasil

Depois da excelente campanha na regional de Brasília, os paratletas campeões do Tocantins vão representar o Estado na etapa nacional das Paralimpíadas Escolares 2023, que ocorre em São Paulo, no mês de novembro.

Segundo a chefe da delegação do Tocantins, a preparação dos atletas será intensificada com foco na competição nacional. “Temos muitos motivos para comemorar e estamos com uma expectativa de ter resultados ainda melhores nas Paralimpíadas Nacionais”, finalizou. (Secom/TO)

(Foto: Divulgação Seduc/TO)