Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Estado

Foto: Divulgação

O Governo do Tocantins encaminhou nota à imprensa informando que comunicou ao Movimento de União do Servidores Públicos Civis e Militares do Tocantins (Musme), via ofício, que descarta qualquer possibilidade de alterar proposta feita para o pagamento da data-base dos servidores públicos em greve.  

Os servidores públicos estão em greve desde o dia 9 de agosto. O governo propôs pagamento a partir de janeiro de 2017. De acordo com o Governo do Estado, em razão da crise financeira que o Tocantins enfrenta, não tem condições de alterar a proposta e conta com o bom senso dos servidores e aguarda o restabelecimento pleno e funcionamento dos serviços públicos do Estado.

Já sabendo da decisão do Governo do Estado em encerrar as negociações, as entidades sindicais em greve que fazem parte do Musme estiveram reunidas na noite de ontem, 24, e decidiram manter o movimento grevista. As entidades sindicais também irão intensificar as mobilizações de suas categorias como forma de fortalecer o movimento grevista que nesta terça-feira completa 78 dias de paralisação. 

A proposta do governo aos servidores é a seguinte: 

Pagamento de 2% em janeiro de 2017 – Custo mensal de R$ 4.691.547,97/Custo anual: R$ 62.538.334,46;

Pagamento de 2% em maio de 2017 – R$ 4.785.378,93/Custo anual: 44.647.585,42;

Pagamento de 5,83% em outubro de 2017 – Custo mensal R$ 14.228.367,18 – custo anual: R$ 61.608.829,88;

Pagamento do passivo da data-base de 2015 no exercício de 2017 e Redução da jornada de trabalho para 06 horas diárias corridas (30 horas semanais).