Polí­tica

O Partido da República (PR) protocolou, nessa terça-feira, 26, uma notícia crime no Ministério Público Federal (MPF) contra o governador interino eleito para mandato suplementar Mauro Carlesse. A notícia crime pede para a Procuradoria da República, que em eleição estadual faz o papel de Ministério Público Eleitoral, denunciar Carlesse por falsidade ideológica para fins eleitorais, crime contra ordem financeira e lavagem de dinheiro. Caso o Ministério Público Estadual (MPE) faça denúncia e ela seja e considera procedente, Carlesse pode ser cassado e condenado criminalmente.

A notícia crime é baseada nas declarações de bens de Carlesse à Justiça Eleitoral em 2012, 2014 e 2018, bem como na reportagem da revista “Isto É” intitulada “O laranjal do governador do Tocantins” (https://istoe.com.br/o-laranjal-do-governador-de-tocantins/), publicada no dia 21 de junho. A reportagem, baseada em ação de divórcio de Carlesse, aponta que governador interino esconde patrimônio de mais de R$ 100 milhões através de um grande uso de parentes e amigos como laranjas.

“O certo, eminente Procurador Eleitoral e da República, que caso a afirmação veiculada pela revista Isto É seja verdadeira, pode o deputado estadual ter cometido, pois a cifra de R$ 100 milhões destoa e muito da declarada à Justiça Eleitoral, ao menos em tese, o crime previsto no art. 350 do Código Eleitoral”, destacou o documento, ao ressaltar que o artigo proíbe a omissão ou a declaração falsa para fins eleitorais.

A notícia crime também detalha os possíveis outros crimes que teriam sido cometidos por Carlesse.

Análise

Quem vai analisar o pedido de investigação e posterior denúncia contra Carlesse do PR é o procurador da República Álvaro Manzano. Em parecer em uma (Ação de investigação Judicial Eleitoral) também movida pelo PR contra Carlesse, Manzano opinou pelo afastamento do governador interino, que é acusado de desobedecer decisões judiciais e usar a máquina pública para se eleger.