Estado

Foto: Manoel Lima Carlos Aragon foi recebido no Palácio Araguaia Carlos Aragon foi recebido no Palácio Araguaia

O secretário executivo da Força Tarefa de Governadores para o Clima e Floresta (GCF), Carlos E. Aragon, reuniu com o governador Mauro Carlesse e representantes do Estado na manhã desta quarta-feira, 29, no Palácio Araguaia, em Palmas. De acordo com Carlos Aragon, a reunião constituiu um primeiro contato com o executivo tocantinense e uma oportunidade de apresentar a Força Tarefa e a sua agenda de trabalho, comum a todos os estados participantes, bem como tratar de outros aspectos que dizem respeito ao desenvolvimento sustentável.

Ele destacou a necessidade de os estados envolvidos se pautarem por uma agenda de desenvolvimento de baixa emissão de carbono. “Esse é um tema que tem se identificado como de interesse de todos, porque diz respeito a como aumentar a competitividade dos estados da Amazônia para os investimentos, que tem a questão do carbono como eixo condutor”, salientou.

No evento, o secretário-chefe da Casa Civil, Rolf Costa Vidal e o subsecretário da pasta do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rubens Brito, manifestaram apoio à Força Tarefa, destacando os ativos ambientais no Estado, uma vez que conta com grandes parques ambientais, que precisam ser melhor explorados, além das reservas ambientais comuns em todas as propriedades, que constituem ativos ambientais.

(Foto: Manoel Lima)

Rubens Brito ressaltou que essa agenda do clima e floresta não está pautada exclusivamente na agenda ambiental. “Ela tem uma sinergia com outros setores como os de planejamento, fazendário, da agricultura, que é a base do nosso estado. O que é proposto é tratar essa questão de forma transversal, envolvendo todos os setores e identificando quais são as demandas de cada localidade”, pontuou.

Força Tarefa

O GCF é uma força tarefa subnacional estabelecida com base em um memorando de entendimentos, assinado em 2008, que fornece a base para a cooperação em inúmeros assuntos relacionados à política climática, financiamento, troca de tecnologia e pesquisa.

Um total de 38 estados e províncias do Brasil, Colômbia, Costa do Marfim, Equador, Espanha, Estados Unidos, Indonésia, México, Nigéria e Peru participam da organização, que visa construir programas que integrem políticas de Redução de Emissões de gases de efeito estufa provenientes do Desmatamento e da Degradação florestal (REDD+) a outras ações que reduzam as emissões de gases causadores do efeito estufa.