Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Foto: Divulgação

Em um movimento encabeçado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Tocantins (CAU/TO) promoveu encontro com os candidatos ao governo do Estado em sua sede na capital Palmas, na última segunda-feira (10) e nesta última terça-feira (11), para debater a Carta-aberta pelo Direito à Cidade.

O documento elaborado por arquitetos e urbanistas conta com 53 propostas de melhoria para as cidades de todo o Brasil. A carta foi encaminhada previamente para todos os candidatos e depois foi marcado um encontro presencial com os mesmos. Todos confirmaram presença previamente.

Na segunda-feira, o presidente do CAU/TO, Silenio Camargo, junto com o vice-presidente Luiz Hildebrando e conselheiros, receberam o candidato César Simoni do PSL. Simoni elogiou o documento entregue e disse que o material o ajudou a esclarecer algumas questões acerca das cidades. Simoni que já foi secretário de segurança pública do Estado do Tocantins enfatizou a questão da segurança das cidades. Nesse sentido uma das propostas do CAU é a revitalização de espaços urbanos para que eles possam ser ocupados pela população.

De acordo com vice-presidente Hildebrando, essa ocupação acaba por inibir os atos de violência. “Um exemplo claro que nós temos em Palmas é a área em que hoje está situado o Parque dos Povos Indígenas. Antes você tinha uma grande ocorrência de assaltos e atos violentos naquela área, depois da revitalização todos os dias tem movimento de pessoas lá”, pontuou Hidelbrando.

A conselheira Joseliene da Silva ainda reafirmou que só a revitalização não basta é preciso que a expansão urbana seja feita a partir de um planejamento e para que esse planejamento seja feito de maneira eficiente é preciso que se tenha a frente profissionais com devidos conhecimentos técnicos.

Segundo a candidata Bernadete Aparecida (Psol), recebida nesta terça, a promoção de fóruns para se discutir o desenvolvimento das cidades será uma das suas ações, caso eleita. A candidata falou também sobre promoção de moradia digna para todos, proposta reforçada na Carta-Aberta, que aponta como uma das alternativas para a viabilidade de moradia para a população de baixa renda, a realização de concursos públicos de projetos arquitetônicos que, uma vez aprovados, seriam repassados a população para que se pudesse construir de maneira mais eficaz, com supervisão técnica e com uma economia de material.

Para o presidente Silenio Camargo, fazer com que essas propostas cheguem aos candidatos, independentemente de sua linha ideológica, é o que importa para o conselho, pois o objetivo é que a partir dessas propostas se consiga viver melhor. “Nossas preocupações não são partidárias, são preocupações gerais que envolvem a comunidade, por exemplo, a partir de interferências urbanas é possível você prevenir atos de violência e o que a gente pretende é que esse conhecimento chegue a todos os candidatos e que eles saibam o que os nossos núcleos urbanos estão precisando” finalizou.

O documento foi encaminhado para todos os cinco candidatos ao governo do Tocantins e todos confirmaram presença previamente, porém, apenas os candidatos citados apareceram nos dias combinados.

Carta-aberta pelo direito à cidade

O documento que é um manifesto dos Arquitetos e Urbanistas do Brasil, em defesa de uma planejamento urbano solidário e inclusivo é composto por 53 propostas que englobam as áreas de políticas públicas, mobilidade urbana, valorização dos centros históricos culturais, bem como preservação do meio ambiente e atenção as comunidades tradicionais.

A carta pode ser conferida na íntegra por meio do link http://bit.ly/carta-aberta-aos-candidatos.