Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Esporte

Foto: Divulgação/FIVB

Foto: Divulgação/FIVB

O Brasil está na semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A seleção masculina de vôlei, comandada pelo técnico Renan, bateu o Japão na madrugada desta terça-feira (03/08), no Horário de Brasília), por 3 sets a 0 (25/20, 25/22 e 25/20) e garantiu a classificação para a próxima fase. O resultado eliminou os donos da casa na partida disputada na Ariake Arena.

Na semifinal, o time verde e amarelo terá o Comitê Olímpico Russo como adversário. Os russos eliminaram o Canadá, vencendo também por 3 a 0. O confronto será na próxima quarta-feira (04/08), às 9h30, e terá transmissão ao vivo da TV Globo e do SporTV. Os russos foram justamente os responsáveis pela única derrota da seleção brasileira até então.

Na fase de grupos, o Brasil venceu a Tunísia, Argentina, Estados Unidos e França, passou por um resultado negativo, para o Comitê Olímpico da Rússia.

Na partida de hoje, diante dos japoneses, o ponteiro Leal foi o maior pontuador do Brasil, com o total de 16 pontos (15 de ataque e um de bloqueio). O oposto Wallace marcou 13 vezes e o ponteiro Lucarelli, 12, confirmando o potente poderio de ataque da seleção brasileira com esse trio.

Logo depois do jogo, Wallace falou sobre o desempenho da sua equipe. “Já sabíamos que o jogo seria assim, que eles iriam defender, com volume de quadra muito grande e nós tivemos paciência para passar pelos momentos de dificuldade, de não rifar a bola, nem tomar bloqueio direto. Conseguimos fazer o que estava planejado, agredindo bastante no saque e isso dificultou para o lado deles”, avaliou o oposto da seleção brasileira.

Wallace ainda falou sobre o que espera diante do Comitê Olímpico Risso. “No outro jogo contra os russos faltou a questão da cobertura. Isso fez uma boa diferença. O passei não saiu tão bem, o bloqueio doa caras é grande e nós não podemos enfrentar. Então, a cobertura vai ser primordial para jogar contra eles. Além disso, também temos que bombardear o time eles no saque”, deu a dica o oposto campeão olímpico.

Destaque da seleção brasileira em Tóquio, Lucarelli sabe que o grupo ainda tem o que crescer dentro da competição. “Sabemos que os erros que comentemos são possíveis de evitar. Temos que caprichar algumas coisas e fazer as escolhas certas em tudo. Também dá para aumentar a concentração em alguns momentos. Sempre falamos que não vamos chegar na perfeição, mas o objetivo é chegar o mais perto possível como time”, concluiu Lucarelli.

O Brasil busca sua quinta final olímpica consecutiva. Em Atenas-04, o Brasil foi ouro, em Pequim-08 e Londres-12, a seleção masculina ficou com a medalha de prata, e no Rio-2016, o grupo brasileiro subiu ao degrau mais alto do pódio.

Tabela - Seleção Masculina 

23/07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Tunísia (25/22, 25/20 e 25/15)

26/07 (segunda-feira) – Brasil 3 x 2 Argentina (19/25, 21/25, 25/16, 25/21 e 16/14)

28/07 (quarta-feira) – Brasil 0 x 3 Comitê Olímpico da Rússia (22/25, 20/25 e 20/25)

29/07 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Estados Unidos (30/32, 25/23, 25/21 e 25/20)

31/07 (sábado) – Brasil 3 x 2 França (25/22, 37/39, 25/17, 21/25 e 20/18)

Quartas de final

03/08 (terça-feira) – Brasil 3 x 0 Japão (25/20, 25/22 e 25/20)

Semifinal

04/08 (quarta-feira) – Brasil x Comitê Olímpico Russo, às 9h30 (Horário de Brasília)