Economia

Rebeca Toyama é fundadora da ACI, signatária do Pacto Global da ONU

Rebeca Toyama é fundadora da ACI, signatária do Pacto Global da ONU Foto: Divulgação

Foto: Divulgação Rebeca Toyama é fundadora da ACI, signatária do Pacto Global da ONU Rebeca Toyama é fundadora da ACI, signatária do Pacto Global da ONU

O País iniciou mais um mês com alta nos índices de endividamentos e inadimplência. Mesmo com a ajuda do benefício Auxílio Brasil, a população continua com o poder de compra reduzido diante da inflação que segue elevada. Diante disso, Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira alerta sobre a importância de se cuidar da carreira para não fazer parte dos índices de endividamento, que tem gerado desestabilização e ainda pode prejudicar a vida profissional.

Segundo o levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias endividadas atingiu 79% em agosto. A alta foi de 1 ponto percentual em agosto ante julho, e em um ano, o avanço foi de 6,1 pontos. Já o número de inadimplentes também cresceu em agosto, alcançando 29,6%, essa foi a segunda alta consecutiva que levou o indicador ao maior percentual da série histórica desde 2010.

Mesmo com os pagamentos do Auxílio Brasil de R$ 600 iniciado no mês passado e com validade até dezembro deste ano que favorecem as famílias em situação extrema de pobreza, a inflação em nível ainda elevado traz dificuldades no poder de compra dos consumidores, e de acordo com a economista da CNC responsável pela pesquisa, Izis Ferreira, o crédito tem sido uma forma importante para as famílias sustentarem o consumo.

“Observo que mês a mês os índices vêm aumentando e isso é alarmante! Esse fato merece uma atenção especial, sabemos que todos estamos vivendo um momento difícil com o aumento da inflação e dos juros somado à instabilidade geopolítica dentro e fora do País, mas isso não pode ser desculpa para deixarmos de cuidar de nossa carreira, pois é com o sucesso dela que podemos evitar ou sair do grupo de endividados”, alerta, Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira.

De acordo com a especialista, a melhor forma de se combater o endividamento e a inadimplência é cuidar das fontes de renda, sendo uma das principais a carreira, que deve ser estrategicamente planejada, pois quando não se tem uma boa gestão de carreira compromete a liberdade do profissional, boas oportunidades e, consequentemente, o sucesso financeiro e a realização da profissão.

Atenção especial com a carreira

Cuidar da carreira significa ficar atento às tendências do mercado de trabalho e fazer aprimoramentos para conseguir mais estabilidade e crescimento profissional. Mas também é cuidar das fontes de renda, pois esse é um ponto especial para não cair na inadimplência e no descontrole.

Segundo Toyama, a principal fonte de renda dos trabalhadores é o salário, e o nível de poupança do brasileiro é muito baixo, então, quando a pessoa perde o emprego acaba tendo as próximas contas comprometidas. Portanto, é necessário mudar os hábitos dos brasileiros em relação à carreira e principalmente, com as finanças.

“Os brasileiros não têm o hábito de fazer uma reserva financeira, sabemos que é cada vez maior o risco de se perder o emprego. Portanto, são 3 pontos que os brasileiros precisam se atentar para manter sua empregabilidade: planejar a carreira, estar atento às tendências de trabalho e ter clareza de suas competências. Assim estes profissionais terão mais oportunidades, seja dentro ou fora de sua atual empresa, ou até mesmo empreendendo seu próprio negócio, mantendo-o distante das estatísticas de inadimplência e endividamento, fruto do descontrole financeiro”, finaliza Rebeca.

Planejar a carreira não é só uma questão de se manter empregado, mas também promover o crescimento profissional para garantir e aumentar seu poder de compra, ficar distante das estatísticas e ampliar as fontes de renda. Para isso, Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira, traz 5 dicas para fugir do endividamento e inadimplência, e assim, cuidar da carreira:

1- Assuma a gestão de sua carreira, não caia na armadilha de acreditar que a responsabilidade é de seu empregador, gestor ou sócio;

2- Foque no seu desenvolvimento profissional e pessoal, esse é melhor caminho para você manter sua empregabilidade;

3- Fique atento às tendências do mercado para não ser surpreendido pela obsolescência;

4- Tenha clareza sobre uma visão de futuro, seja perseverante em seu planejamento de carreira;

5- Crie sua reserva financeira, lembre-se que demissões e imprevistos acontecem.

Perfil

Rebeca Toyama é fundadora da ACI, signatária do Pacto Global da ONU. Mestre em Psicologia Clínica e Administradora. Especialista em educação corporativa, carreira e bem-estar financeiro. Atua há 20 anos como palestrante, mentora e coach. Integra o corpo docente da pós-graduação da ALUBRAT, da Galícia, da Universidade Fenabrave e do Instituto Filantropia. Colaboradora do livro Tratado de Psicologia Transpessoal: perspectivas atuais em psicologia: Volume 2; Coaching Aceleração de Resultados e Coaching para Executivos.