Estado

Foto: Dimar Crisóstomo Servidores protestaram em frente a prefeitura de Taguatinga Servidores protestaram em frente a prefeitura de Taguatinga

Cerca de 40 servidores da saúde do município de Taguatinga, na região sudeste do Tocantins, realizaram na manhã desta quinta-feira, 27, uma manifestação pelas ruas da cidade pelo atraso de 3 meses no pagamento dos salários.

De acordo com o servidor do município Judson Ferreira de Almeida, a prefeitura tem atrasado apenas o salário dos servidores da área da saúde, tendo realizado o pagamento dos demais servidores de forma regular. “Já é o terceiro mês consecutivo que não recebemos e a prefeitura não dá nenhuma explicação”. O servidor completa ainda que o prefeito Altamirando Zequinha Gonçalves Taguatinga (PV) não tem nem sequer recebido os servidores, ou entidades que os representam para dar explicações.

Servidores fizeram passeata pelas ruas da cidade em protesto contra o atraso de 3 meses no pagamento

O presidente da Associação dos Servidores Públicos Municipais do Estado do Tocantins (ASPMET), Ronaldo Sérgio Alves de Sousa, disse que a entidade tem buscado se reunir com o prefeito para resolver a situação, mas os representantes não são recebidos. “Queremos também aqui desmentir o Prefeito Miranda Taguatinga que anda falando que esta entidade não busca o diálogo. No entanto podemos provar através de ofícios e notificações não respondidas que quem não quer dialogar é a gestão municipal. Afirmamos ainda que o prefeito por perseguição a esta entidade e aos seus diretores está descumprindo a Constituição Federal no seu Art.8 onde diz que é livre a associação profissional e sindical”, declarou.

A ASPMET também emitiu uma nota repudiando o atraso no pagamento dos servidores e o descaso da administração pública municipal. Diz a nota, “segundo a  gestão municipal isso vem ocorrendo por falta de recursos, no entanto a ASPMET afirma que o que está faltando não é recurso e sim administração com coerência”.

Ainda de acordo com o presidente da associação, a prefeitura de Taguatinga tem mantido servidores contratados com gratificações, em detrimento do pagamento dos servidores efetivos. “Temos a comprovação de que o município está com alto número de contratos e que muitos desses contratos recebem gratificações com  valores muito altos”, ressaltou Ronaldo.

A entidade acusa ainda a administração de não realizar o repasse da mensalidade dos servidores associados à ASPMET, mesmo com um parecer da assessoria jurídica que diz que o município deve fazer esse desconto em folha de pagamento. De acordo com a entidade, o prefeito estaria agindo assim para impedir que a associação defenda o interesse de seus associados.

O Conexão Tocantins tentou contato com o prefeito Altamirando Taguatinga, mas as ligações deram na caixa de mensagens. Os telefonemas realizados para a sede da prefeitura da cidade também não foram atendidas.