Polí­cia

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Miracema Moisés Costa da Silva foi morto em 30 de agosto Moisés Costa da Silva foi morto em 30 de agosto

O laudo da perícia feita na arma encontrada junto ao corpo do prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés Costa da Silva, indica que possivelmente o revólver de calibre 38 foi a mesma arma usada no crime.

Os testes indicaram que a bala encontrada no carro é compatível com a arma. O laudo também demonstrou a ausência de impressões digitais no revólver, o que leva a polícia a crer que o mesmo foi limpo ou que o atirador tenha usado alguma proteção para as mãos.

Análises feitas também na caminhonete do prefeito revelaram que, provavelmente, Moisés foi morto do lado de fora do veículo e, sem seguida, colocado dentro do carro, já que não havia respingos de sangue dentro da caminhonete.

Apesar das evidências a polícia ainda não sabe quem matou Moisés e as investigações continuam. No último domingo o crime completou um mês. Parentes e amigos realizaram celebrações religiosas em homenagem à memória do prefeito.