Saúde

Foto: Erlene Miranda

Foto: Erlene Miranda

Com o objetivo de realizar o planejamento de ações estratégicas para o controle da Chikungunya, dengue e Zika no Tocantins, a da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) recebeu entre os dias 20 e 24 a equipe do Centro de Operações de Emergências (COE arboviroses) do Ministério da Saúde (MS). E nesta sexta-feira, 24, os representantes das Pastas realizaram uma reunião de alinhamento.

“Diante do cenário nacional de aumentos de casos de Chikungunya, Dengue e Zika, essa visita do Ministério da Saúde é primordial para que sejam traçadas ações efetivas de combate ao Aedes aegypti”, ressalta o secretário executivo da SES-TO, Luciano Lima Costa.

A diretora de vigilância das doenças vetoriais e zoonoses do Tocantins, Mary Ruth Batista Maia Glória, afirma que a visita da equipe do MS foi relevante para a elaboração de táticas em conjunto. “Nós acreditamos que a união de forças entre todos os entes é essencial, pois esse fortalecimento conjunto faz uma grande diferença nas ações de vigilância e assistência aos pacientes acometidos por alguma arbovirose”.

A técnica da SES-TO explica ainda que “com base nesta visita, estamos trabalhando no sentido de organizar ainda mais os serviços já executados, para que tenhamos uma atenção voltada para os níveis primário, secundário e terciário, aliadas às ações de controle ao Aedes aegypti em todo território tocantinense”, finaliza.

O consultor técnico da Coordenação Geral de Vigilância de Arboviroses do Ministério da Saúde, Pedro de Alcântara Brito Júnior, esclarece que “a visita ao Tocantins se deu diante dos aumentos de casos de Chikungunya no Estado, especialmente em Paraíso. Sendo a capital, Palmas também visitada. E neste aspecto de epidemia que vive o Brasil atualmente de arboviroses, o MS no dia 15 de março ativou o COE arboviroses, que conta com equipe de campo que vai aos municípios para realizar um diagnóstico situacional”.

O servidor do MS complementa que “realizamos visitas técnicas aos municípios de Palmas e Paraíso, nestes encontros fizemos atividades com a gestão e de campo, nas unidades de saúde, Unidade de Pronto Atendimento e Centros de Zoonoses, a equipe se dividiu para verificar como é o fluxo dos pacientes suspeitos nas unidades e o como se dá nos municípios o combate ao Aedes”.

O consultor finaliza explicando que “nesta reunião de hoje vamos repassar o que foi realizado em cada município e descrever as fragilidades observadas, e partir daí recomendar ações para melhorar e fortalecer a vigilância e assistência às cidades visitadas, e posteriormente será enviado um relatório técnico com recomendações para os municípios e Estado”.

Chikungunya, dengue e Zika no Tocantins

Conforme dados dos últimos boletins epidemiológicos, o Tocantins já registrou em 2023, 2.870 casos de dengue, 2.253 casos de Chikungunya e 666 de Zika.

Participantes da reunião

Além de representantes da Superintendência de Vigilância em Saúde, a reunião contou com a participação da superintendente de Políticas de Atenção da Saúde, Juliana Veloso e do superintendente de Unidades Próprias, Andreis Vicente.