Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­cia

Foto: Prefeitura de Miracema/ Divulgação Moisés da Sercon morreu no dia 30 de agosto Moisés da Sercon morreu no dia 30 de agosto

Mais de 10 dias após a morte do prefeito de Miracema, Moisés Costa da Silva (o Moisés da Sercon), a polícia ainda não desvendou os fatos a respeito da morte do político. A Polícia Civil não tem divulgado detalhes a respeito das investigações que ocorre em sigilo. O irmão de Moisés, Fidel Costa, disse por telefone ao Conexão Tocantins que nem mesmo a família tem acesso às informações, mas tem colaborado com os investigadores, prestando as informações que são solicitadas.

Os exames periciais no corpo da vítima e o resultado da coleta de evidências no local da morte ainda não foram concluídos. O prazo inicial para os resultados era de 10 dias. O exame balístico realizado na arma encontrada no colo de Moisés quando seu corpo foi localizado também não foi concluído e a perícia pediu mais dez dias para apresentar os resultados. O delegado Guido Camilo Ribeiro - um dos responsáveis pelas investigações - informou à imprensa em entrevista coletiva um dia após o ocorrido que o revólver encontrado no local pode nem ter sido a arma utilizada no crime.

Até o momento a polícia não comunicou oficialmente que  nenhuma das três linhas de investigação foram formalmente descartadas (suicídio, latrocínio e homicídio). A família, no entanto, não acredita na hipótese de suicídio. “Ele era uma pessoa feliz, não tinha motivos pra isso e nunca demonstrou em momento nenhum que seria capaz de um ato desses”, disse Fidel.

As investigações são realizadas por meio de uma força-tarefa envolvendo as delegacias de Homicídios de Palmas, Delegacia de Investigações Criminais e Delegacia Regional de Miranorte. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), diariamente novas pessoas são ouvidas e convocadas para prestar depoimento em Miranorte e Miracema.

Caminhada

Na próxima sexta-feira, 14, a família de Moisés realizará uma caminhada no centro da cidade de Miracema para cobrar justiça e paz.

De acordo com Fidel Costa os participantes irão se concentrar em frente à casa de Moisés às 17 horas e seguirão até a praça Derocy de Morais. A família pede que todos compareçam de branco, se possível.

“É um momento para unir as pessoas e pedir a justiça no caso do Moisés. Nós não aguentamos mais a angústia de não saber informações sobre o caso”, lamentou.

Família organiza caminhada por justiça no dia 14 de setembro - próxima sexta

O caso

O corpo de  Moisés Costa da Silva foi encontrado morto no dia 30 de agosto dentro de sua caminhonete em uma estrada vicinal entre Miranorte e Rio dos Bois.

O prefeito havia saído da prefeitura de Miracema na manhã do dia 30 e seguiu até a cidade vizinha de Miranorte. Ele dispensou os funcionários que o acompanhavam para fazer uma visita ao prefeito Antônio Carlos Martins (MDB).

Os funcionários ficaram aguardando em um posto de gasolina, mas o prefeito não retornou e nem respondia às mensagens e ligações. Horas depois foi encontrado morto com uma marca de tiro na cabeça. Moisés Costa da Silva morreu aos 44 anos e estava em seu primeiro mandato na prefeitura de Miracema, que era também seu primeiro cargo público.